10/06/2022

Vira e mexe, o site The Intercept surge com uma matéria sensacionalista, que não fosse nossa curiosidade, passaria despercebido até para os mais distraídos deste mundo. Desta vez a informação diz que o ex-deputado Roberto Jefferson entrou no ultimo dia 16 de setembro, com uma queixa-crime no Ministério Público Militar, contra o presidente Jair messias Bolsonaro, e o Ministro da Defesa Paulo Sergio Nogueira de Oliveira, por prevaricação ao deixar de praticar ou praticar indevidamente ato de ofício, ou praticá-lo contra a lei para satisfazer interesse pessoal.

Jefferson diz que Bolsonaro e Paulo Sérgio se omitiram ao não intervir no Senado para obrigá-lo a apreciar o impeachment do ministro Alexandre de Moraes e não intervir no Supremo Tribunal Federal, o STF, para impedir a continuidade do inquérito das fake news.

Ou seja: para Jefferson, Bolsonaro e seu general-ministro prevaricaram ao não darem um golpe de estado. Com tal conteúdo, é dado que a queixa-crime não irá prosperar. Mas é igualmente certo que Jefferson irá atiçar a fatia mais radical do bolsonarismo o que, provavelmente, era seu intento.

Isto é o que podemos chamar de insanidade de uma pessoa que ja demonstrou sim conhecimento e sabedoria o suficiente para saber que sua ação não passa de ufanismo barato, que somente serve para que sites sensacionalistas e tendenciosos criem narrativas anti-bolsonarista.

Primeiro que jamais o presidente da republica, ou seu ministro da Defesa, poderia interferir no senado federal, ou na suprema corte, pelo menos em se tratando de constituição, coisa que Jair Messias Bolsonaro procura preservar, mesmo apanhando diariamente de forma inconstitucional, inclusive pelos próprios togados.

Segundo porque, o Ministro Paulo Sergio Nogueira ocupa um cargo político e muito embora seja o ministro da defesa, uma ação imaginaria deste tipo somente ocorreria por meio dos comandantes das Forças Armadas.

E em terceiro lugar, porque o Ministério Público Militar não pode investigar o presidente da republica, que constitucionalmente falando, só pode ser investigado pela Procuradoria Geral da Republica, coisa que inclusive os ministros da suprema corte estão ignorando.

Quanto ao Roberto Jefferson, cabe a ele neste exato momento, se recolher da vida política e cuidar de sua saúde.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: