As verdadeiras mentiras da esquerda!

Enquanto o Tribunal de Justiça de São Paulo deu em segunda instância, a vitória à jornalista Patrícia Campos Melo por danos morais contra o presidente Jair Messias Bolsonaro, vem apenas uma questão à mente: e as acusações que a jornalista fez contra o presidente, sobre os disparos em massa pelo Whatsapp na campanha eleitoral de 2018, e que nunca foi provado? Como ficou?

Claro que ficou no esquecimento, pois a verdade pouco importa quando a meta é atingir a credibilidade de alguém, principalmente se este alguém for próximo ao presidente da republica.

Na semana que passou o alvo foi o pastor, e ex-ministro Milton Ribeiro que chegou a ser preso pela Polícia Federal, por conta de uma investigação sobre possível corrupção no MEC, que nem processo legal havia, e, portanto acabou sendo solto no dia seguinte sem contestação por quem deu a ordem de prisão.

Hoje veio a noticia bomba, de que o presidente da Caixa Econômica Federal, o Pedro Guimarães está sendo acusado de assédiosexual por algumas funcionarias do banco, ou até ex-funcionárias, que misteriosamente ao meu ver, nunca se pronunciaram a respeito, mas que do nada surgem agora com declarações sobre Pedro Guimarães de que ele promovia toques íntimos não autorizados, abordagens inadequadas e convites heterodoxos, incompatíveis com o que deveria ser o normal na relação entre o presidente do maior banco público brasileiro e funcionárias sob seu comando.

Muito bem; se de fato isto tiver mesmo ocorrido, Pedro Guimarães deverá responder pelos seus atos, porém uma coisa é uma acusação motivada por fatos, e outra por supostos fatos que nunca motivaram nenhuma queixa destas funcionarias, principalmente nos dias de hoje, onde um simples olhar já está sendo considerado assédio.

Fato é que o ato de acusar os outros sem provas definitivas é antes de tudo a busca covarde que um profissional tem, de tentar reafirmar que o seu mundo é o mundo correto, que ele pertence a uma comunidade, que cultuam as mesmas regras, os mesmos valores e que ao acusar a pessoa sente-se protegida porque tem certeza que toda a grande maioria irá apoiá-lo.

Parece mesmo que está em pleno vigor, a máquina de moer reputações em Brasília, principalmente se a vítima for bolsonarista. Neste exato momento já se prepara o pedido de demissão do presidente da Caixa, Pedro Guimarães, pouco importando o excelente trabalho que vem executando diante a instituição, para evitar outro desgaste para o governo de Jair Bolsonaro.

Esta é a verdadeira síndrome do quanto pior, melhor para eles.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: