A compra de votos para reeleição na Câmara!

0

Reportagem sobre a compra disfarçada de votos por parte de Arthur Lira, para garantir sua reeleição para a Câmara dos Deputados.

Às vésperas da eleição interna para a Mesa Diretora da Câmara dos Deputados, a direção da Casa capitaneada por Arthur Lira (PP-AL), que busca se manter no posto por mais dois anos, aumentou os valores da cota parlamentar.                                                                         Ato com os novos valores foi publicado nesta sexta-feira (20) no “Diário Oficial da Câmara”. O documento é assinado por Lira e os membros da Mesa Diretora. 

O valor da cota parlamentar varia de acordo com o estado do deputado, porque considera o preço das passagens aéreas de Brasília até a capital de onde o parlamentar foi eleito.

Atualmente, a cota parlamentar varia de R$ 30.788,66, no caso de eleitos pelo Distrito Federal, a R$ 45.612,53, no caso de eleitos por Roraima. Com o ato, os valores podem chegarR$51.406,33.                                                                                                                                                          Os novos valores entrarão em vigor a partir da próxima legislatura, em 1º de fevereiro de 2023, mesmo dia para o qual está marcada a eleição interna que definirá a nova Mesa Diretora da Câmara.

A justificativa no ato afirma que a mudança busca “adequar” o valor da cota “aos maiores custos relacionados ao exercício do mandato, que são deslocamento e habitação”. Além da cota parlamentar, o ato desta sexta também aumenta valores para outros reembolsos.

A complementação do reembolso do auxílio-moradia vai passar de R$ 1.747 para R$ 4.148,80 mensais. Um auxílio-moradia de R$ 4.253 é concedido aos deputados que não ocupam imóveis funcionais para despesas com habitação no Distrito Federal. Essa complementação ao auxílio-moradia é descontada da cota parlamentar.

Outro reembolso que teve o limite aumentado foi para despesas com combustíveis e lubrificantes: passará de R$ 6.000 para R$ 9.392.

*Pois é; para tudo existem verbas neste país, desde que seja para beneficio dos políticos ou seres supremos que habitam o Distrito Federal, pois para o pobre povo brasileiro que trabalha duro de sol a sol para sobreviver, um simples pedido de aumento do salário mínimo é tratado pelos representantes do povo, como algo impossível de ser atendido para não furar o teto de gastos do novo governo, que bem sabemos já foi furado antes mesmo de começar.

FONTE: CNN Brasil (exceto os asteristicos)

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: